Our Recent Posts

Archive

Tags

Nenhum tag.

Está com dificuldades para “vender” seu projeto ágil ou conquistar apoio executivo para a mudança? V


Colegas,


Mudanças Organizacionais, nas quais se incluem a Transformação Digital e Ágil, não é uma coisa simples. É uma grande transformação. E transformação subentende-se ruptura!


Dá pra compreender?


Essa ruptura envolve muitos aspectos: estruturais, funcionais, processuais e, principalmente, psicológicos, por mais que alguns defendam que o Framework X ou Y é o melhor, ou que XYZ seja a bala de prata, enfiando garganta abaixo das pessoas novos processos sem mostrar a elas o propósito daquilo e o que tem por trás de tudo.


Muitos acreditam que fazendo isso, aos poucos as pessoas se adaptarão, o que em partes é verdade, mas não é tudo. Outros creem que mudando partes do sistema, a soma dessas mudanças será capaz de transformar todo o ambiente.


Quem acredita nisso, sugiro que leia sobre a Gestalt, e poderá sentir essa visão de que o TODO é a soma das suas partes ruir!!!


O gestaltismo defende que, para compreender as partes, primeiro precisamos compreender o TODO. E não se pode compreender ou projetar o TODO a partir das partes, pois o TODO é uma outra coisa, e esta outra coisa não é o mesmo que a soma de todas as suas partes.


Complexo né?


Esse é um assunto realmente profundo e labiríntico, mas estou estudando muito sobre isso para compreender os motivos do porque alguns modelos de gestão ágil não apresentarem casos comprovados de sua eficácia e eficiência nas organizações.


Bom, de qualquer forma eu acredito nisso! E sabem o motivo?


Primeiro, porque os poucos colegas que já enfrentaram na prática esse desafio de transformar, pensam da mesma forma, e eu sou um deles.


Segundo, porque sem o apoio executivo, as mudanças de fato não ocorrerão. Você até pode adotar um Framework, mudar os processos de um, dois, 50 times, fazer as pessoas executar novas formas de trabalho, mas isso não muda a forma delas pensar e nem de agir.


Sem a compreensão de fato, elas farão força para realizar as coisas, para “fazer ágil”. Assim, isso não será algo natural e orgânico, muito menos sustentável! Além disso, sem mudança no mindset das lideranças e alta gestão, seu processo “ágil” será constantemente prejudicado, por meio das interferências externas do TODO, da qual a sua parte faz parte.


Muitas vezes funciona. Mas apenas quando e enquanto existir uma pessoa atuando como capataz, vigiando e “chicoteando” as outras pessoas para que cumpram os ritos e sigam o guide!


Eu costumo enfatizar que, mesmo existindo o fato de muitos colegas das novas gerações não terem vivenciado isso, estamos passando pela mesma situação que ocorreu há alguns anos, durante a adoção dos processos de qualidade total, a ISO algum número qualquer!