©2018 by Andy Barbosa

Transformação Ágil (7 de 15): Você sabe realmente o que isso significa? Tem certeza?

Uma renovação de Cultura, como é o caso da Transformação Ágil, é uma inovação disruptiva no ambiente organizacional. Você pode imaginar o impacto e tamanho desse desafio?

 

Transformação Ágil é uma abrangente e significativa mudança organizacional guiada, motivada pela adoção e exercício de inúmeras práticas, que denominei de Comportamentos Ágeis, que renovam hábitos e processos, quebram paradigmas, reconfiguram os modelos de gestão, liderança e relacionamento, impactando nas pessoas, processos, estruturas, cultura, clientes e estratégias do negócio simultaneamente.

 

Aliado a isso, a Transformação depende ainda de alguns outros aspectos, extremamente importantes e de alta complexidade, que precisam ser considerados e devidamente tratados durante todo o ciclo de mudanças:

 

1. Mudar a forma de Pensar e Agir

 

As novas formas de pensar e agir são aquelas propostas pelo Growth, Lean e Agile Mindset. Eles nos conduzem a buscar desafios e encarar as falhas como aprendizado. Vê o esforço como o caminho para a excelência. Nos desafiam a entregar o mais rápido possível, promovendo autonomia dos times, respeitando as pessoas e eliminando os desperdícios. Além disso, priorizam as pessoas e os relacionamentos, colaboração com o cliente e ainda a capacidade e flexibilidade para aceitar e promover mudanças.

 

2. Perceber a Empresa com um outro Prisma

 

A empresa deve ser vista como um Organismo Vivo. Um sistema adaptativo complexo, formado por Corpo, Mente e Alma, como já abordei em outro artigo - clique aqui para ler. A empresa precisa ser encarada como um fluxo contínuo de mudanças, que emerge das relações dos indivíduos e está em contrante coevolução entre o TODO (empresa) e as partes (colaboradores, clientes, fornecedores). Sendo assim, a empresa passa a ser um sistema imprevisível, sem possibilidade de um controle rígido, porém com total capacidade de inovar e criar sua realidade (cocriadora).

 

3. Adotar um novo modelo de Gestão e Liderança

 

O novo modelo de gestão deve estar baseado em valores, com ênfase nas pessoas e relações, focada no cliente, preocupada com o intangível, com poder descentralizado e com foco nos resultados. Os líderes devem ter perfil educador e inspirador. Devem ser visionários, e dar um bom exemplo. Devem ter habilidades de treinador, mentor, orientador e facilitador, sem esquecer dos resultados.

 

4. Adotar Processos e Práticas Ágeis

 

Neste ponto podemos adotar e implantar os frameworks ágeis como: Scrum, Kanban, Lean, XP, dentre outras. Além disso, processos enxutos e ágeis como a Gestão de Demandas e Requisitos Ágeis, por exemplo, devem ser considerados.

 

5. Renovar a Cultura Organizacional

 

Aqui chegamos no ponto mais complexo da Transformação. Renovar a Cultura Organizacional é o principal fator crítico para o sucesso, indiscutivelmente. Adotar uma cultura de menos regras e mais valores, menos cargos e mais papéis, de dignidade para todos, de visão do cliente, de clareza de objetivos (alinhamento e comunicação), de adaptação e inovação contínua e de foco em resultados não será uma tarefa fácil. No entanto, com tempo e com a fórmula certa,  posso garantir que acontece!

 

6. Sustentar a Gestão e Cultura Ágil

 

Considerando a empresa como um Organismo Vivo e de fluxo contínuo de mudanças, é indispensável ter um Plano de Sustentação para garantir a agilidade em toda a empresa. Mais difícil que o desafio de Transformar será o de Sustentar a agilidade. Para isso proponho um Ciclo PDCA, composto por 8 Comportamentos que, se executados continuamente, garantirão a sustentação. Detalharei em outro artigo cada um destes comportamentos.

 

 

Portanto, uma Transformação Ágil efetiva e plena, impacta em todas as áreas organizacionais, indo além da TI e Projetos. Divisões como comercial e marketing, gestão de pessoas, administrativo e financeiro, por exemplo, precisam ser envolvidas e ter uma interface adequada para integrar-se aos demais times ágeis da organização, fazendo com que, aos poucos, a nova cultura ágil seja absorvida e praticada por todos.

 

No entanto, vejo muita falácia sobre Transformação Ágil e, infelizmente, muitos tratando-a como algo trivial e simples, acreditando que basta adotar o framework XYZ, ou contratar um "Agile Coach", um PO ou Srum Master, transferir toda a responsabilidade para eles e.... pronto! Está feita a mágica: somos ágeis!!! 

 

Isso é conversa de quem não entende, de fato, nada  do que estamos tratando. Uma renovação de cultura é uma inovação disruptiva dentro de uma organização. Tem impactos e desafios imensuráveis. Precisa que os gestores do negócio mudem sua mentalidade. Eles tem que adotar e praticar os novos mindsets, compreender o real significado, necessidade e dar sentido para mudança. Eles devem apoiar e patrocinar de forma irrestrita, além de atuar ativamente como agentes de mudança. 

 

Em paralelo a tudo isso, a Transformação precisa ser orquestrada e conduzida com prudência e habilidade, seguindo critérios, métodos, planejamento, sensibilização, capacitação, experimentação, adaptação. Caso contrário, é fracasso na certa!

 

Pense e reflita sobre isso!!!

 

Já falei e reafirmo: agilidade é cultura, é comportamento. Agilidade é 8 ou 80! Ou você é ou não é! Tem ou não tem! Não importa ou depende de um framework ou de um ou outro papel. O que importa é a atitude coletiva. A forma de pensar e agir de TODA a empresa!!!

 

 

 

 

 

Please reload

Our Recent Posts

Please reload

Archive

Please reload

Tags

I'm busy working on my blog posts. Watch this space!

Please reload